O mundo é um espelho

Costumo dizer que a mente da gente não é uma máquina fotográfica, que tira foto do mundo lá fora.
Ela é um projetor.
E o mundo é uma tela em branco, esperando nossas projeções.

Cada pessoa que cruza nossos caminhos é um mestre exatamente por este motivo: ela nos mostra aquilo que carregamos dentro de nós. Quando algo no outro me incomoda, aquele algo reflete algo que eu trago dentro de mim.

Isso explica a razão de alguém ser amado e odiado por diferentes pessoas. A pessoa em questão é a mesma, o que muda são os observadores, os projetores.

Se você admira alguém, é porque aquele alguém reflete algo que você também tem: um talento, uma habilidade, um potencial.

E se você abomina alguém, também há um pouco de você naquele ser. Algo que você gostaria de ser e não se permite, ou algo que você é ou faz, e nem se deu conta.

Eis a beleza do mundo: sermos espelhos ambulantes uns dos outros, mostrando os pontos cegos.

Aquilo que me incomoda no outro deve ser trabalhado em mim. Não no outro.

Entende agora a importância do autoconhecimento? O outro sempre irá me auxiliar em meu trabalho interno. Porque ele demostra coisas que, sozinho, não sou capaz de enxergar.

E cada um é um espelho diferente, para que tenhamos a oportunidade de nos ver por infinitos prismas.

Quando tento salvar, ajudar, resolver o problema do outro, estou na verdade fugindo de mim, na pretensão de que posso ser o salvador de outra pessoa, e achando que alguém poderá me salvar ou fazer minha lição de casa do autoconhecimento por mim.

Só que não funciona assim. Você é responsável por primeiro fazer o movimento por si mesmo.

Como no caso do avião, em que o protocolo diz que primeiro você coloca a máscara de oxigênio em você, para depois auxiliar as outras pessoas.

Porque se você não existir nem estiver inteiro na sua vida, seu filme fica sem o astro principal.

Você é a pessoa mais importante da sua vida.
É com você que você irá conviver o resto da sua existência.
O que quer dizer que, mesmo quando se for deste plano, você estará com você, e terá de desfrutar da sua própria companhia.

É hora de fazer as pazes consigo.
De se amar, de se valorizar, de se respeitar e honrar.
Com todos seus “defeitos, erros, fraquezas e equívocos”.

Hoje, olhe-se no espelho com transparência, coragem e inocência: enxergue além das rugas, dos defeitos, das aparências.
Permita que sua porção Humana se reconheça no olhar profundo do seu Eu Mestre.
E sinta como esta fusão, esta mistura, este recontro é perfeito, magnífico e reconfortante.

Com amor, e agradecendo ao Universo por ter você como espelho em minha vida,

Ana

 

Gostou do blog e do artigo? Deixe um comentário!
Você também pode compartilhar o conteúdo nas redes sociais usando os botões abaixo.
E para ser avisado quando novos artigos forem postados por aqui clique no quadradinho abaixo

Gratidão pela visita!



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *